Untitled

Untitled

googleweblight.com

Não podemos não sentir dor, é uma condição humana. No processo evolutivo funciona como uma forma avançada de sobrevivência. A dor física permite-nos identificar a grande maioria das coisas que nos podem causar dano imediato, ou servir de alerta para algo no nosso organismo que precisa de cuidados e atenção. No que respeita à dor emocional, poderemos dizer que se assemelha às funções da dor física. Funciona como um alerta de que algo na nossa vida não está acontecendo como desejamos, ou que estamos insatisfeitos face a algo ou a alguém. Entre o estímulo que provoca dor emocional e a forma como respondemos à nossa percepção criada, reside a nossa oportunidade de resposta. Isto quer dizer que perante o sentimento de dor emocional (que pode ser pontual e transitório), não temos necessariamente que transformá-lo em sofrimento. A forma como respondemos à dor emocional, o enquadramento e atitude que decidimos ter, pode conduzir-nos à vitimização e consequente sofrimento, ou à capacitação e consequente conforto e bem-estar.

Viktor- Frankl escreveu sobre os impactos psicológicos da vida como um prisioneiro nos campos de concentração nazis da Segunda Guerra Mundial. A sua mãe, pai, irmão e esposa grávida foram mortos nos campos. Dr. Frankl descreve em detalhes arrepiantes sobre a forma como os seus captores lhe tomaram quase tudo o que era significativo, incluindo a sua dignidade humana básica. A única coisa que os nazis não foram capazes de tirar foi a sua escolha quanto à forma de responder à privação, degradação e trauma a que ele foi submetido. Ele tomou uma decisão consciente para concentrar as suas energias em “utilizar” a seu favor o curto espaço de tempo, mas muito importante, entre o estímulo (o que fosse dito ou feito para ele) e a sua resposta a isso. A sua capacidade de manter esse grau de autonomia psicológica e autorregulação emocional nas circunstâncias mais terríveis que se possa imaginar, fornece um exemplo notável de força emocional sob extrema pressão, o poder de escolha pessoal, e a serenidade na ação.

Dor física e dor emocional

Source googleweblight.com