scp

scp


Ideia Basica: Fenômeno onde plantas/terra, em momento de seca prolongado, ‘sumona’ tsunamis que devastam áreas afetadas pela seca em si, matando populações(ção) e destruindo árvores.



Descrição: SCP-###-BR-1 é a designação para um fenótipo de solo (pesquisar sobre solo, ph, etc). Este fenótipo aparentemente se desenvolveu com condições climáticas naturais de onde mais se encontra, dito, regiões áridas, em especial a zona da Caatinga da região Nordeste do Brasil. SCP-###-BR-1 tem uma aparência similar a terra (pesquisar terra) e não possui propriedades anômalas enquanto não é associado com SCP-###-BR-2 e as condições necessárias para o mesmo ser ativo. Para ver experimentos sobre possíveis condições anômalas adicionais, consulte o Adendo ###-A.


SCP-###-BR-2 são um grupos de planta da família biológica (pesquisar), comumente encontradas em biomas tropicais e úmidos. SCP-###-BR raramente é encontrado em biomas áridos (nativos de SCP-###-BR-1), pelo seu alto consumo de nutrientes e falta de resistência a exposição UV contínua (aqui determinada como durando mais que 6h); como e quando tais plantas são proliferadas em biomas nativos de SCP-###-BR-1 ainda é desconhecido, mas hipóteses foram desenvolvidas por resultado de testes. Para mais detalhes, consulte o Adendo ###-B.


SCP-###-BR-3 é um fenômeno climático-geográfico causado pelo cultivo natural de pelo menos 20 podas de SCP-###-2 em solo com altas concentrações (aqui determinadas como superior a 44% do solo ocupado pelas raízes de SCP-###-2), seguido de escassez de nutrientes em uma área de 1 km/poda única durante um intervalo variado de 4 a 6 meses. Até o momento, SCP-###-BR-3 não foi observado ocorrendo anterior a este período, mas condições simuladas foram tentadas sem resultados representativos. (Ver Adendo ###-C).


SCP-###-BR-3 se manifesta como um evento climático aquático de alto impacto, apesar da área afetada ser relativamente baixa. Este evento costuma ter uma ordem padrão de execução:

1. SCP-###-BR-1 sofre de escassez de água e SCP-###-BR-02 perde nutrientes, desencadeando SCP-###-BR-3.

2. SCP-###-BR-3 se inicia, criando nuvens (procurar nuvem) em um raio de 30 km durante 10 minutos. Garoa se inicia.

3. Terremotos de (procurar grau de terremoto) se iniciam na junção de placas tectônicas mais próxima a SCP-###-BR-1 e -2. Tais terremotos duram em torno de (tempo bom).

4. Garoa da ‘fase’ 2 se agrava, tomando forma de tempestade. Ventos com velocidade de até (procurar) podem ser registrados indo em direção do terremoto causado anteriormente.

5. Sinais de tsunamis de escala (escala) podem ser registrados a (km-metros) do terremoto anterior. Em todos os casos registrados, fenômeno se direciona á localização de SCP-###-BR-1 e -2, independente do fluxo marítimo preexistente na zona.

6. Tsunami alcança zona costal do continente, no momento com escala (x).

7. Tsunami percorre distância necessária para alcançar a localização de SCP-###-1 e 2.

8. SCP-###-BR-3 termina aproximadamente 5 dias após seu início. Apesar da escala de destruição que SCP-###-BR-3 costuma causar, SCP-###-2 se mantém enraizadas e podem ser observadas estando mais saudáveis.


Como dito, fenômenos causados por SCP-###-3 costumam ser altamente destruvos para fauna, flora e população nativa da região; apesar disso, o novo corpo aquático criado pelo SCP não é mantido, e é rapidamente absorvido por SCP-;###-1 e solo misturado. Tempo de "recuperação" da área geográfica (com exceção da perda de fauna/flora) costuma ser de 1 mês, após o qual formas adaptáveis de vida podem ser re-entroduzidas.