Os Restauradores 2019

Os Restauradores 2019

Livro Auxiliar da lição dos adultos - 4º trimestre 2019

A Luta de Esdras e Neemias Pelo Reavivamento do Povo de Deus.

Liderar o povo de Deus em tempos de crise é um desafio que poucos estão dispostos a empreender. Os obstáculos podem vir de fora, porém os mais assustadores vêm de dentro. Esdras e Neemias foram chamados para restaurar toda uma nação. Conduziram um povo a reconstruir muros e valores, em uma parábola viva. Seu testemunho revela os planos, as ideias e emoções de pessoas comuns que se dedicaram intensamente a um ideal supremo.

 Além de abordar princípios de liderança, este livro apresenta todo o contexto da saída de Babilônia e as lições espirituais envolvidas nessa saga. Revela o amor de Deus e Seu desejo de reerguer e restaurar a identidade e o compromisso dos que haviam se desviado de sua missão.

Não se trata apenas da história da reconstrução dos muros e do templo, mas da restauração da própria fé e do encorajamento dos filhos de Deus no passado e no presente. Leia este livro e ouça o chamado para uma renovação espiritual em sua vida.

INTRODUÇÃO

O Deus de Esdras e Neemias está vivo e é real. Ele é o Senhor da história e intervém em favor da humanidade porque a ama e Se preocupa com seu bem-estar (Dt 33:3; Is 48:17; Jr 29:11; Jo 10:10). Esdras e Neemias experimentaram essa intervenção favorável, e ambos testificaram da “boa mão de Deus” sobre eles (Ed 7:9; 8:18; Ne 2:8, 18). Assim como os profetas do passado, nós também observamos como Deus tem atuado na história e somos atraídos a Seu incomparável amor e providência. O que conhecemos a respeito de Deus é o que Ele revela sobre Si mesmo nas Escrituras. Essa revelação nos traz entendimento e nos ajuda a desenvolver um relacionamento significativo com Ele. Conhecê-Lo como Criador e Redentor amoroso (Ne 1:5, 10; 9:5, 6, 17, 19) nos capacita a responder com

 confiança e gratidão. Ao falar da atitude amorosa de Deus para com Seu povo errante, Neemias proclamou enfaticamente: “Mas, pela Tua grande misericórdia, não acabaste com eles nem os desamparaste; porque Tu és Deus clemente e misericordioso” (Ne 9:31). Apesar das calamidades que sobrevieram a Israel devido às suas transgressões (Ed 5:12; 9:7; Ne 1:6, 7; 9:30; Dn 9:4-20), o povo de Deus experimentou Seu amor e misericórdia. “Cantavam alternadamente, louvando e rendendo graças ao Senhor, com estas palavras: Ele é bom, porque a Sua misericórdia dura para sempre sobre Israel. E todo o povo jubilou com altas vozes, louvando ao Senhor por se terem lançado os alicerces da Sua casa” (Ed 3:11). Com coração agradecido, o povo se dispôs a trabalhar arduamente porque percebeu que o favor de Deus recaía sobre eles (Ed 7:27, 28). O Deus de Esdras e Neemias, o Líder de Israel e Senhor do Universo, habita com os que são humildes e se arrependem de sua obstinação para com Ele, buscando seguir Seus princípios:

Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo:

Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos” (Is 57:15).

O Deus de Esdras e Neemias é o Deus dos relacionamentos significativos. Por exemplo, a frase “meu Deus” (ou “Deus meu”) é usada 15 vezes nos livros que levam seus nomes (Ed 7:28; 9:5, 6 [duas vezes]; Ne 2:8, 12, 18; 5:19; 6:14; 7:5; 13:14 [duas vezes], 22, 29, 31). A declaração final em Neemias inclui essa declaração pessoal “Deus meu” (Ne 13:31). O próprio Deus Se torna conhecido a pessoas reais em situações reais de luta, conflito, erro e vida, além de também prover por sua felicidade e prosperidade. Ele Se relaciona com a humanidade e deseja ser seu Salvador (Is 45:22; 49:5, 6). O gracioso Deus de Esdras e Neemias é um Deus transcendente, bem como imanente. Ele é o “Deus dos Céus” (Ed 1:2; 5:11, 12; Ne 1:5), mas também o “Deus de Israel”, Seu povo (Ed 1:3; 9:15). O profeta Isaías confirma:

Assim diz o Senhor: O céu é o Meu trono, e a terra, o estrado dos Meus pés [...], mas o homem para quem olharei é este: o aflito e abatido de espírito e que treme da Minha palavra (Is 66:1, 2).

O livro de Esdras-Neemias (é provável que os dois, conforme os conhecemos atualmente, tenham sido originalmente um livro – na época de Jesus eram unificados e considerados um livro) começa com grandes expectativas e esperança. Deus interveio nos assuntos humanos, e coisas maravilhosas começaram a acontecer. O poderoso Ciro, rei da Pérsia, emitiu um decreto em favor do povo porque o Senhor o moveu a agir dessa forma, e o monarca se dispôs a reagir positivamente aos estímulos de Deus. Portanto, o povo de Deus readquiriu a liberdade, e os judeus tiveram permissão para deixar o exílio babilônico e regressar à sua terra natal. As boas-novas são que Deus está no controle da situação até mesmo durante as horas sombrias da vida: Israel foi para o exílio por causa de sua atitude equivocada para com Deus, Seus ensinos, a vida e o povo (Dn 9:4-19), mas Deus nunca cessou de demonstrar-lhe Sua misericórdia. Esses dois livros não são sobre o sacerdote Esdras e o governador Neemias, mas sobre Deus e o que Ele pode fazer quando Lhe damos permissão para agir em nossa vida. Ambos os líderes foram homens de Deus, líderes excepcionais, centrados no Senhor, orientados pela Palavra e conduzidos pelo Espírito, que desejavam profundamente que Seu povo fosse luz para o mundo. Eles queriam exaltar o nome de Deus e proclamá-lo em todo o mundo. A vida deles era um exemplo do que o Redentor pode fazer por meio de líderes que agem como servos fiéis e dedicados. Eles permitiram que Deus fosse o Senhor de suas vidas, e grandes coisas aconteceram. Os livros de Esdras e Neemias são joias preciosas e merecem ser estudados com atenção. Como diamantes reluzentes, eles trazem alegria aos que os valorizam. Demonstram a luta e o drama que acontece entre a graça de Deus e o poder do pecado. Deus triunfa quando Seu povo permanece ao Seu lado. Seguir Suas instruções traz paz, alegria e prosperidade aos crentes e glória ao Seu nome.

A importância de conhecer a estrutura literária e o contexto histórico

A estrutura de Esdras e Neemias nos ajuda a compreender sua mensagem. Nem sempre é essencial entender a conexão entre uma estrutura literária bíblica e sua mensagem, mas no caso de Esdras e Neemias, isso é crucial (o mesmo ocorre, por exemplo, com os livros de Daniel, Ezequiel e Zacarias). Além disso, saber o contexto histórico nos ajudará a apreender o propósito, os pontos principais e as lições contidas nesses escritos inspirados. Observaremos, especialmente, três intervenções de Deus em favor de Seu povo, quando teve permissão de retornar à sua terra natal. É preciso dispensar bastante atenção para não haver confusão, pois ocorreram em épocas diferentes e com líderes e pessoas diferentes. Lembre-se de que nem tudo apresentado nesses livros é escrito em uma ordem cronológica estrita. Algumas partes são redigidas de maneira temática (principalmente Ed 4:6-23 e Ne 12).

O desafio de Esdras e Neemias não foi construir nem reconstruir o templo. Ele já havia sido concluído e dedicado em março do ano 515 a.C., quase 60 anos antes da chegada de Esdras e um pouco mais de 70 anos antes do retorno de Neemias. O propósito principal de suas atividades era reconstruir a cidade de Jerusalém, reerguendo sua administração e autonomia como nação. Isso só seria possível se o povo de Deus experimentasse um reavivamento espiritual. O reavivamento deveria começar primeiro com a renovação de um relacionamento vertical com Deus e, em seguida, por uma reforma em nível horizontal com a humanidade. A seguir, temos a estrutura básica de Esdras e Neemias. A compreensão desse fluxo de eventos vai auxiliar em seu estudo desses livros.

Ao estudar a Palavra de Deus, que nosso bondoso Senhor abençoe você com a iluminação do Espírito Santo, tocando seu coração, transformando seu pensamento e capacitando você para segui-Lo com alegria!