Meditação da Mulher - Surpresas do Céu - Janeiro 2020

Meditação da Mulher - Surpresas do Céu - Janeiro 2020

January 04, 2020


ELE CUIDA DE TUDO - 01 DE JANEIRO 2020

Coloquei toda minha esperança no Senhor; Ele Se inclinou para mim e ouviu o meu grito de socorro. Salmo 40:1

Ao longo de minha vida, tenho inúmeras razões para agradecer a Deus por Seu cuidado e amor. É incrível como Ele realmente cuida de tudo quando depositamos nossa confiança Nele.

Começou pela minha faculdade. Eu estava cursando Serviço Social, mas por providência divina acabei mudando de curso e estudando Psicologia. Foi nesse período que conheci e aceitei namorar aquele com quem dividiria todos os meus sonhos, os momentos ruins e os bons, exatamente como havia pedido a Deus. Antes disso acontecer, porém, surgiram algumas provas no caminho.

Depois de um ano e três meses de namoro, meu namorado recebeu a proposta de ir estudar na Austrália. No entanto, ainda faltavam três anos para eu terminar a faculdade. Por isso, não pude acompanhá-lo. O tempo foi passando, a saudade foi apertando e o receio de perder tudo o que havíamos construído bateu à nossa porta. Naqueles momentos de angústias, clamava ao Senhor para que Ele me auxiliasse nas decisões que deveria tomar, e Ele sempre falava ao meu coração: “Tem tempo para tudo, Minha filha!” Foram dois anos e meio naquela situação. Se não fosse o cuidado de Deus, teria sido impossível prosseguir.

Quando meu noivo voltou da Austrália, decidimos nos casar. Já havíamos planejado tudo. Iríamos para a Austrália, lá constituiríamos família e serviríamos ao Senhor naquela região. Parecia um plano lindo, mas Deus estava preparando outra coisa para nós. Acreditamos no verso bíblico de Provérbios ?6:?: “Ao homem pertencem os planos do coração, mas do Senhor vem a resposta da língua.”

Mais uma vez, com minha família e meu noivo, oramos e decidimos aceitar uma nova proposta. Mal sabia eu das bênçãos que Deus estava nos reservando nesse chamado.

Hoje, como casal, servimos ao Senhor não em outro país, mas em nosso próprio país. Nós nos envolvemos nas igrejas, ministramos palestras para noivos, casais e famílias. Compreendemos o quanto esperar em Deus e aceitar as mudanças que Ele faz nos planos de nossa vida é sempre o melhor. Pode ser que nem sempre recebamos a resposta que esperamos, mas podemos ter a certeza de que se Ele estiver no controle seremos surpreendidos com Suas bênçãos sem medidas. Basta crer e confiar!

Kelly Lima Gama Ruchdeschel



A LETRA DE DEUS - 02 DE JANEIRO 2020

Observem as aves do céu: não semeiam nem colhem nem armazenam em celeiros; contudo, o Pai celestial as alimenta. Não têm vocês muito mais valor do que elas? Mateus 6:26

Como esposa de pastor, tenho a oportunidade de conhecer muitas pessoas e partilhar de suas lutas e vitórias. Em um sábado de 2017, eu estava em uma das igrejas que meu esposo pastoreava. Houve um momento da programação em que as pessoas expuseram seus agradecimentos e pedidos. Foi assim que conheci a história da irmã Odete.

Aos ?2 anos, ela cuidava da mãe com 93 anos de idade. Tinham apenas um salário mínimo de aposentadoria para custear suas despesas. Por isso compravam remédios e alimentos em comerciantes do bairro e pagavam apenas no fim do mês. Mesmo com toda dificuldade, sempre se mantiveram fiéis nos dízimos e nas ofertas.

Em um determinado mês, Odete dirigiu-se à farmácia para fazer o acerto mensal, e a dona do estabelecimento apresentou um valor muito superior ao que ela realmente devia. Ela procurou explicar que os remédios que comprava não condiziam com aquele preço, mas a comerciante exigia que o valor fosse pago integralmente. Sem saída, ela usou parte do valor que devia ao mercado para quitar a dívida.

Saiu dali angustiada, pois não poderia pagar o mercado. Mesmo assim, foi ao local conversar com o dono. Contou o ocorrido e disse que pagaria a ele apenas parte da dívida, pois não tinha todo o dinheiro. O comerciante buscou seu caderno, para fazer a soma do valor devido. Para sua surpresa, disse a ela que a dívida estava paga.

Constrangida, ela tentou explicar que não queria o perdão da dívida, apenas a permissão para pagar em duas vezes. Entretanto, o homem afirmou que alguém tinha pago a dívida e até deixado uma anotação no caderno. Ainda sem crer, ela pediu para ver o caderno e ficou pasma ao ler: “Pago.” Era uma letra tão linda, como jamais tinha visto em sua vida. Perguntou, então, se aquela letra era dele ou de algum funcionário. O dono do estabelecimento respondeu que não. A própria pessoa que havia pago havia feito a anotação no caderno.

Ela tentou descobrir mais informações com quem havia atendido a pessoa, pois queria encontrá-la para agradecer. Mas nem ele, nem os funcionários souberam responder quem era a pessoa. Odete entendeu que o autor daquela bela letra era Alguém que está nos Céus e que cuida de todas as Suas criaturas. Se Ele cuida até dos pardais, muito mais cuidará de nós.

Rosemeire Magalhães Félix


AMARRANDO CADARÇOS- 03 DE JANEIRO 2020

O Senhor disse a Gideão: “Com os trezentos homens que lamberam a água livrarei vocês e entregarei os midianitas nas suas mãos”. Juízes 7:7

Quando minha filha tinha quatro anos, ela me contou toda feliz que havia conseguido amarrar os cadarços dos sapatos. Na verdade, nem sei qual a idade ideal para esse feito. Mas fiquei orgulhosa, é claro, especialmente porque era seu primeiro par de tênis escolar. Percebi certa euforia em minha filha por conseguir realizar essa tarefa infantil que, para nós adultos, é tão simples. Talvez até exista alguém que até hoje não consiga fazer isso muito bem, mas essa não é a questão.

O fato é que nos sentimos felizes quando conseguimos realizar algo depois de algumas tentativas. Coisas simples como desenformar o bolo inteiro (dificilmente consigo) ou resolver uma complicada equação do 2o grau (nisso sou fera). Quem sabe até digitar o símbolo grau no teclado (será que existe algum atalho?).

Vejo fotos de diplomas, carteiras de motoristas, teste de gravidez, enfim, vitórias que obtemos. E, quando isso acontece, nos traz muita, muita satisfação.

Precisamos nos lembrar de que é Deus quem nos capacita para as vitórias da vida.

Por vezes nos frustramos por não ter êxito em determinado assunto. Talvez uma nota baixa na escola, uma péssima apresentação de um seminário na faculdade. Uma reprovação para obter a Carteira Nacional de Habilitação, um concurso público ou vestibular.

Tenho aprendido que muitas vezes podemos perder batalhas, mas isso não significa que devemos desanimar, pois poderemos ganhar a guerra.

O que nos dá vitórias? A fé. Não em nós mesmos, como se fôssemos autossuficientes, mas como instrumentos movidos por um Deus supremo. Devemos nos lembrar de Gideão, que tinha o Senhor do seu lado e venceu os midianitas com apenas 300 homens (Jz 7:7). Ele confiou e seguiu as orientações de Deus.

Se, mesmo seguindo todas as orientações, ainda assim lhe parecer difícil “amarrar os cadarços”, continue tentando. Afinal, nem todos que tentaram conseguiram, mas os que conseguiram tentaram.

Deus promete estar com Seus filhos e dar a vitória àqueles que se esforçam e acreditam no poder que vem do Alto.

Luciene Amorim Santos de Barros



MORTE SOLITÁRIA - 04 DE JANEIRO 2020

Ora, Eliseu estava sofrendo da doença da qual morreria. Então Jeoás, rei de Israel, foi visitá-lo e, curvado sobre ele, chorou gritando: “Meu pai, meu pai!” 2 Reis 13:14

Como enfermeira, pude presenciar muitas cenas de alegria e outras de extrema tristeza. Lembro-me de um fato ocorrido bem no início de minha carreira profissional que me fez pensar no peso do sofrimento e na angústia da solidão.

Era domingo, e eu trabalhava em um grande hospital como plantonista. Ouvi chamar meu nome pelo alto-falante do hospital pedindo que me dirigisse ao setor de internação, com urgência. Ao chegar lá, me deparei com uma cena estarrecedora: um homem de aproximadamente 40 anos de idade estava com um cateter de oxigênio no nariz e com as extremidades das mãos e dos pés arroxeados. Isso era um sinal de falta de oxigênio. O paciente mal conseguia falar de tanta falta de ar. Seu desespero era chocante! Estava com câncer pulmonar em estágio avançado. Imediatamente chamei o médico. Começava o drama de conseguir transferência para uma UTI.

Diante desse quadro angustiante e sem solução imediata, cerquei o leito do paciente com biombos, puxei uma cadeira, peguei a Bíblia e, de mãos dadas, comecei a orar e ler salmos. Quando terminava um, ele pedia que lesse outro, e assim fiquei até o seu completo descanso. Não havia nenhum familiar para compartilhar seu desespero e aliviar sua dor. A morte agonizante é muito cruel, mas pode ser atenuada adotando procedimentos terapêuticos adequados.

Esse fato me fez lembrar de um episódio marcante na vida do profeta Eliseu. Seu antecessor, Elias, não conheceu a morte e foi levado para o Céu em um carro de fogo. Por outro lado, Eliseu, que recebera porção dobrada do Espírito Santo, estava no fim de sua vida em uma cama, padecendo de uma doença incurável. O sofrimento e a dor desse homem de Deus não foram suficientes para roubar-lhe a fé, a esperança e a paz. Ainda no fim de sua vida profetizou para o rei Jeoás e, mesmo depois de sua morte, um homem, quando sepultado, ressuscitou ao tocar nos ossos do profeta. Obviamente isso não aconteceu pelo poder de Eliseu.

Como me comporto diante do sofrimento de um irmão na fé ou mesmo de um desconhecido que tem a solidão como agravante? Mesmo homens fortes como Eliseu e o próprio Cristo necessitaram de companhia nos momentos de dor.

A presença de um ombro amigo e de uma mão caridosa pode aliviar a dor, curar uma enfermidade ou simplesmente trazer paz. Isso Jesus faz por nós todos os dias.

Vânia Denise Carnassale


FINALMENTE ENCONTREI JESUS, - 05 DE JANEIRO 2020

Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus; sou exaltado entre as nações, sou exaltado na terra. Salmo 46:10, ARA

Nasci em um lar cristão, mas não sentia a presença de Jesus em meu coração. Ia à igreja com meus pais por tradição e para agradá-los. Aos 1? anos, eu me afastei completamente. Algumas vezes ainda visitava a igreja, participava de retiros e congressos. O Espírito Santo falava ao meu coração, mas eu não me sentia preparada para voltar.

  Em 2012, ao participar de um congresso, retornei para a igreja. Logo depois, descobri que estava grávida. Meu esposo e eu ficamos atônitos e muito felizes. Pedi a Jesus que me ajudasse a conhecê-Lo, e Ele me ouviu.

  Nos primeiros exames pré-natais descobrimos que algo errado estava acontecendo com o bebê. Foram 36 semanas de tensão até seu nascimento com uma síndrome rara. Ele teve que ser submetido a uma cirurgia com apenas 24 horas de nascido. Especialistas diziam que, se ele sobrevivesse, a expectativa de vida seria de quatro meses.

  Diante desse quadro, sentimos que tínhamos uma missão: orar e encontrar todos os meios possíveis para salvar a vida de nosso filho. E Deus foi colocando em nosso caminho anjos em forma de pessoas, família, amigos e nossos pais. Ele foi intervindo nos hospitais, nos exames, nas equipes médicas, nos auxílios financeiros. A situação foi se normalizando, mas, sete meses depois, veio outra turbulência: o intestino do bebê parou de funcionar. Foram necessárias duas cirurgias de emergência e vários dias na UTI. A situação era muito grave, porém decidimos ir contra as expectativas humanas.

  Constantemente a expressão de Êxodo 14:15 vinha à minha mente: “Marche!” Eu cantava no ouvido do bebê em coma na UTI: “Seja forte e corajoso, não temas, nem te espantes, porque o Senhor teu Deus é contigo.” Fizemos vigílias de oração no hospital. No Facebook, havia igrejas de vários estados intercedendo. E Deus foi abrindo as portas uma a uma. O tempo passou e foi feita a reconstrução do canal retal com um sistema fisiológico adaptado.

  Depois de sete cirurgias, hoje meu filho tem uma vida quase normal. Daniel é um milagre, um garotinho feliz, saudável e muito amado. Foi preciso eu ser totalmente quebrada para enxergar a Jesus. Não foi do meu jeito, mas do jeito Dele. Aprendi que nós, mulheres, precisamos ser guerreiras em uma vida de intercessão! Hoje sinto o desejo de gritar para as pessoas que não existe vida sem joelhos no chão. Minha missão é falar das maravilhas que Deus fez em minha vida por meio da oração.

Cliviane Lago Santos


CARTA DE JESUS - 06 DE JANEIRO 2020

 O Senhor lhe apareceu no passado, dizendo: “Eu a amei com amor eterno; com amor leal a atraí.” Jeremias 31:3


  Querida filha,

  Ao iniciar este dia, escrevo para lhe dizer o quanto você é especial para mim! A cada dia penso em você e busco maneiras de lhe demonstrar Meu amor. Tenho seu nome escrito na palma das Minhas mãos!

  Você é maravilhosa! Pare de reparar nas linhas de expressão do seu rosto. Eu valorizo seu olhar atento e cuidadoso dirigido a todas as pessoas ao seu redor. Admiro seu sorriso, por vezes tímido ou receoso, mas que se abre completamente diante das pequenas alegrias da vida.

  Sei que às vezes você se sente fraca, mas Eu a vejo com uma força extraordinária. Você vai além do que é necessário! Trabalha em dupla e, às vezes, tripla jornada. É incrível como você consegue fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Você é forte, incansável, uma verdadeira guerreira!

  E o que dizer de sua sensibilidade? Você é emoção pura! Você se compadece dos necessitados, emociona-se com lindas histórias e vai às lágrimas com simples elogios.

É admirável como você consegue enxergar além do que é visível, ouvir muito mais do que é dito e tocar corações com sua empatia e amor.

  Apesar de tudo isso, há algo que você faz que me entristece… É sua insistência em se menosprezar. Você não reconhece as próprias qualidades, deprecia seu talento, ignora suas vitórias e vive sentindo-se inferior. Além disso, você não busca Meu auxílio para resolver suas dificuldades. Não faça isso!

  Você é linda, inteligente, batalhadora. Você é única! Você é Minha. Eu criei você! Ainda que todos a rejeitem, Meus braços estarão sempre abertos para você. Conheço cada detalhe de sua vida, seus sonhos, suas conquistas e também seus medos, suas dores, seus anseios. Estou ao seu lado em todos os momentos. Nenhuma lágrima é derramada por você sem que Eu saiba. Não há sorriso que Eu não perceba. Se você acreditasse plenamente nisso, todas as ansiedades indevidas desapareceriam. Eu quero fortalecer você. Quero ajudá-la! Quero ser Seu amparo nas dificuldades. Quero sustentar você. Por isso, confie em Mim. Entregue-se a Mim. Eu já Me entreguei por você, porque Eu a amo!

  Deixo-lhe a Minha paz para este dia. E não se esqueça: logo estaremos juntos para sempre!

  Com amor eterno, Jesus

Josiane Britis Kalicz


SOB MEDIDA - 07 DE JANEIRO 2020

 Antes de clamarem, Eu responderei; ainda não estarão falando, e Eu os ouvirei. Isaías 65:24

Morei em uma casa em São Paulo onde não havia portas entre os cômodos. Aquilo nunca me incomodou até eu ficar sabendo que meu tio passaria três meses vendendo livros com meu marido e se hospedaria em minha casa. Fiquei apreensiva, pois essa situação tiraria minha privacidade.

  Comecei então a cobrar meu marido para providenciar uma porta para o quarto. Ele me pediu que tivesse paciência, pois no momento não estávamos em condições financeiras. Então eu teria que esperar um pouco.

  Aquela resposta me deixou agitada, pois era uma tarde de sexta-feira e, dali dois dias, meu tio chegaria. O que fazer? Resolvi orar, orar e orar…

  Na noite de sábado, estávamos fazendo o culto de pôr do sol, e toquei no assunto novamente com meu marido, sobre a porta que tirava meu sossego. Eu lhe fiz mais um pedido simples: quando ele pudesse comprá-la, queria que fosse sanfonada e na cor marfim, no tom de nossos móveis.

  No fim do culto, ele deu uma saidinha para fazer uma ligação, e eu fui lavar a louça do sábado, como de costume. Enquanto lavava a louça, eu conversava com Deus sobre a minha inquietação. Eu sabia que Ele já estava Se manifestando para me poupar daqueles momentos de ansiedade e resolveria tudo da melhor forma possível.

  Em menos de cinco minutos de conversa com Deus, meu marido entrou pela porta da sala com uma porta sanfonada na cor marfim e totalmente montada em seus ombros. Como teria sido possível? Fiquei pasma. Deus atendera à minha oração!

  Meu marido relatou que, ao chegar no orelhão da esquina, ele havia encontrado aquela porta encostada no muro bem em frente, onde uma vizinha tirava alguns objetos para uma reforma em sua casa, não necessitando mais daquela porta.

  Ficamos atônitos, pois, apesar de confiarmos em Deus, não esperávamos uma resposta tão imediata.

  Quando a porta foi levada para o local onde a colocaríamos, mais uma vez ficamos perplexos. Parecia que tinha sido feita sob medida!

  Deus é realmente maravilhoso. Ele faz coisas inesperadas. Considera até os mínimos detalhes, pois me deu uma porta marfim e no tom dos meus móveis, assim como eu havia pedido.

  O texto de Mateus 21:22 continua falando ao meu coração: “E tudo o que pedirem em oração, se crerem, vocês receberão.”

Fernanda França Moreira Pereira


ÂNIMO! DEUS LHE DARÁ A VITÓRIA - 08 DE JANEIRO 2020

 *Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu. Eclesiastes 3:1*

Era segunda-feira à tarde quando tive a ideia de pesquisar organizações para enviar meu currículo, pois havia algum tempo eu estava pedindo a Deus um emprego. Com os endereços anotados, enviei um e-mail perguntando se poderia levar meu currículo pessoalmente. Algumas respostas foram negativas, mas uma das empresas respondeu positivamente. Fiquei animada com o retorno, mas, como havia passado por situações parecidas e sem sucesso, pensei: “Não vou me animar e criar expectativas”. Em seguida, deparei-me com uma imagem que me marcou muito. Na foto estavam os seguintes dizeres: “Ânimo! Deus lhe dará a vitória”. Percebi que Deus estava cuidando de tudo. No início da semana, recebi um e-mail da empresa perguntando se eu havia desistido de levar o currículo. Respondi imediatamente, avisando que iria no dia seguinte. Na data combinada, saí de Garça, estado de São Paulo, e fui até a empresa localizada em Marília. Não imaginava que faria uma entrevista de emprego, pois pensava que deixaria o currículo e depois haveria um contato. Outra vez compreendi que Deus estava guiando cada passo, e tudo estava se encaminhando conforme Seu querer. Na entrevista, tive a grata surpresa de saber que estavam precisando de um novo colaborador exatamente naquele momento. Também me falaram que o contato via e-mail já havia sido um tipo de teste. A mulher que me entrevistou disse que observou minha atitude de proatividade e informou que buscavam alguém para a função com essa qualidade. Ao expor minha crença, não houve resistência. Até a questão do sábado foi resolvida facilmente. Meu coração se encheu de alegria e terna gratidão. Não tenho dúvidas de que Deus me orientou, desde que pesquisei as empresas até a entrevista. Ele também usou essa situação para me ensinar que tudo tem o tempo certo e que eu sempre devo fazer o que estiver ao meu alcance. Aconselho você a continuar orando, esperando e fazendo o que for possível, jamais deixando de confiar em Deus, pois Ele faz o impossível por nós. Com certeza, o Senhor também lhe dará a vitória!

*Bruna Martins de Almeida*


HINOS QUE FALAM AO CORAÇÃO - 09 DE JANEIRO 2020

Senhor, quero dar-Te graças de todo o coração e falar de todas as Tuas maravilhas. Em Ti quero alegrar-me e exultar, e cantar louvores ao Teu nome, ó Altíssimo. Salmo 9:1, 2

São tão gostosos os momentos de louvor em nossa igreja. Momentos em que você realmente se aproxima de Deus. Há hinos que trazem à memória a cena e até sensações. Lembro-me, com saudade, dos cultos de pôr do sol na sexta-feira em casa. Minha mãe sempre preparava um delicioso bolo, e o cheirinho agradável também cava associado àquele momento. Ela se esforçava para estarmos juntos e prontos para recebermos o sábado ouvindo e cantando belos hinos. De alguns nós nunca nos esquecemos. São marcantes. Lembro-me dos hinos do Hinário Adventista: 12 (“Na Cruz Morri por Ti”); 135 (“Guarda, Vê se Muito Falta”); 33 (“Deus Cuidará de Ti”); 212 (“Um Novo Nome Lá na Glória”), entre tantos. Como é linda a letra do hino 555 (“Até Então”). Mexe com o nosso coração, às vezes até nos faz chorar, mas nos traz a esperança de que as dores cessarão e virá o m a este mundo escuro. Quando canto o hino 158 (“Suave Espírito”) me lembro daquela voz linda, forte, na congregação da Igreja de São Mateus. Era minha sogra, Lourdez. Sentíamos vontade de cantar com o mesmo fervor. Em agosto de 2009, esperávamos a saída da minha mãe do hospital após três AVCs, mas não foi essa a notícia que ouvimos quando o telefone tocou. Meu irmão Edmar avisou que minha mãe tinha ido para a UTI. Perdi o chão. Ao encontrar meu pai em Sorocaba, nunca vou me esquecer do rosto dele. Havia dor em seu olhar. Só pudemos nos abraçar e chorar. Naquele momento difícil, enquanto chorava, vieram à minha mente a melodia e a letra do hino 23: “Cona em Deus, que Ele sempre te ouvirá. / Cona em Deus, que Ele nunca falhará. / Cona em Deus que a negra nuvem passará. / Oh, não duvides, mas cona em Deus.” Três meses depois, lá estava ela com meu pai indo de carro para Alagoas. Hoje minha mãe não está mais aqui. Sinto falta do seu cuidado e do carinho. Era uma mulher guerreira, prestativa, ajudadora... E como cuidava de nossa família! Sei que tudo isso vai passar logo. Então verei seu rostinho renovado, seu sorriso refeito e juntos vamos cantar hinos alegres e dar glórias a Deus. E você? Tem um hino no coração? Se está passando por nuvens escuras, cone em Deus, pois Ele nunca falhará.

Elizabeth Faria


CORAÇÃO DE CRIANÇA - 10 DE JANEIRO 2020

 *Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: sermos chamados filhos de Deus. 1 João 3:1*

Em um belo dia de verão, eu e meus dois filhos saímos de casa rumo a uma cidade do interior do Pará. Nossa intenção era ajudar uma querida amiga que tinha acabado de se mudar. Perto das 11 horas da manhã, meu filho mais velho entrou na sala da casa com um passarinho machucado nas mãos. Meu filho caçula, com um olhar de admiração para o irmão, festejava por ter encontrado um animalzinho. Foram algumas horas de cuidados, mimos e alegria. Logo chegou o momento de voltarmos para casa. Durante a viagem de volta, nosso carro virou um pedacinho do Céu. Os meninos cantavam, brincavam e agradeciam a Deus por enviar um presentinho para eles. Como era sexta-feira, eu precisava passar no supermercado perto de casa para comprar algumas frutas. Descemos até estacionamento, e meu filho mais velho ficou responsável por cuidar do animalzinho enquanto fazíamos as compras. Ele colocou o passarinho em cima do carrinho. Meu filho mais novo foi pegar o bichinho, mas o fez com muita força. Em uma fração de segundos o passarinho morreu. Eu nunca tinha passado por uma situação como aquela. Percebi que estava totalmente despreparada para aquele momento. Entre gritos e lágrimas, meu filho mais velho começou a acusar o menor de ter assassinado aquela criaturinha de Deus. Vendo a situação, pensei em como Deus ama inocentes e culpados. Algo que para mim era tão difícil de compreender passou a ser muito simples. Ao chegarmos em casa, meu filho mais velho correu para o quarto e fechou a porta. Senti vontade de forçá-lo a abrir, mas o Espírito Santo me convenceu a apenas esperar. Depois de alguns minutos, bati à porta e pedi para ele abrir. Quando isso aconteceu, perguntei o que ele estava fazendo. Com uma voz calma e com o rostinho coberto de lágrimas, ele me respondeu: – Mamãe, eu estava conversando com Jesus. Naquele momento, fiz uma retrospectiva e percebi que, com o susto, eu havia me esquecido de elevar minhas súplicas a Deus enquanto meu filho, de apenas sete anos, não se esqueceu de correr para os braços Dele. Querida amiga, ser mulher é um desafio diário, e, em muitos momentos, não nos sentimos preparadas. Mesmo assim, nunca se esqueça de correr para os braços de Jesus. Ele tem o consolo do qual você precisa.

*Léia Guimarães Costa*


TUDO TEM UM PROPOSITO - 11 DE JANEIRO 2020

 *Para tudo há uma ocasião certa; há um tempo certo para cada propósito debaixo do céu. Eclesiastes 3:1*

Meu noivo e eu decidimos adiantar a data do nosso casamento em seis meses. Casamos em julho de 2015 e, em outubro do mesmo ano, descobrimos uma gravidez. Apesar de não termos planejado, passamos a sonhar com o bebê. Optei por dar à luz em um Centro de Parto Humanizado. O trabalho de parto durou quase 24 horas. Meu marido e uma amiga/irmã me acompanharam. Quando vi meu filho, Erick, as dores desapareceram, e eu só conseguia olhar para o bebezinho, decorando suas feições. Foi quando observei uma movimentação estranha no quarto. As enfermeiras começaram a nos preparar para a transferência hospitalar. No hospital, fui encaminhada imediatamente para o centro cirúrgico. Lá, o médico, acompanhado por duas enfermeiras, me pediu autorização verbal para tirar uma foto da laceração pós-parto e encaminhar para a Secretaria de Saúde. Foram necessárias três horas de cirurgia para reconstrução. Levei 60 pontos, e vários médicos vieram me avaliar, assustados com a gravidade da situação. Somente quando o médico me mostrou a foto que haviam tirado entendi o quanto aquela laceração era grave. Questionei: “Por que, Deus?” Como consequência, desenvolvi bexiga hiperativa, tive que fazer uma ultrassonografia abdominal, e fui surpreendida com a notícia de um tumor ovariano no lado direito. O desespero me pegou em cheio. Após os exames, os médicos chegaram à conclusão de que se tratava de um teratoma ovariano benigno, que se desenvolve de forma rápida e assintomática, mas que precisava ser removido cirurgicamente. Em dezembro de 2016, fui submetida a uma retirada de ovário e tuba uterina direita. No dia da minha alta, a médica da equipe cirúrgica me explicou que eu havia tido sorte de descobrir o tumor antes que ele se expandisse pelos dois ovários, como geralmente acontece com outras mulheres. Se isso acontecesse eu ficaria estéril. Enquanto ela falava, entendi que Deus permitiu que adiantássemos nosso casamento, que eu engravidasse antes do planejado e tivesse aquela laceração para continuar fértil. O ovário esquerdo ainda está livre do tumor. Posso dizer que a vinda do Erick salvou a minha vida.

*Elisa Montalvão Rocha Pimentel*


OS PASSARINHOS VIRÃO CANTAR PARA VOCÊ - 12 DE JANEIRO 2020


*Povo Meu, escute o Meu ensino; incline os ouvidos para o que Eu tenho a dizer. Salmo 78:1*

Em meu primeiro dia de trabalho na Casa Publicadora Brasileira, o pastor Rubens Lessa, responsável por minha contratação, entrou em minha sala, olhou para a janela e disse: “É... você não tem uma vista bonita para o jardim como os seus colegas do outro lado do corredor. Mas, quando essas palmeiras crescerem, os passarinhos virão cantar para você.” Certo dia, quando eu estava muito triste, depois da oração das 9 horas, ouvi um passarinho cantando. Olhei para a janela e vi um pequeno pássaro na beira da janela, olhando para mim e cantando. Ele era tão pequeno, mas cantava com tanta força! Lembrei-me do pastor Lessa... Chorei, mas de alegria por ele ter me proporcionado uma profecia. Ela havia se cumprido naquele momento e enchido meu coração de esperança. Aquele passarinho me ajudou a relembrar que, em apenas um breve instante, é possível ir das lágrimas ao riso; que o Senhor conhece nossas necessidades; que o anjo relator faz o registro de cada lágrima derramada; que nossa a aflição é passageira, mas, acima de tudo, que nossa salvação em Cristo Jesus é certa. O pastor Lessa faleceu no dia 12 de janeiro de 2019 da mesma forma como aquele passarinho apareceu em minha janela: de repente, sem avisar, sem ninguém esperar. Muito difícil defini-lo com uma palavra, mas o que ficou gravado em minha mente foi a preocupação dele com as pessoas, sem se importar com o status das mesmas. Ele não era bajulador. Não se preocupava em obter vantagens pessoais. Dedicava-se a levar a salvação às pessoas e defender a Palavra. Era um homem que conseguia conquistar crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos com sua simpatia e amor sincero. Enérgico, mas justo. Tinha humildade para reconhecer os próprios erros. Era poeta e profeta. Apesar de tudo isso, minha palavra para definir o pastor Lessa é a que nos levará a um encontro definitivo com Jesus: consagração. E você? É uma pessoa consagrada? Tem se dedicado à obra do Senhor? Tem buscado ser uma luz em meio às trevas que a cercam? Tem feito alguém sorrir? Tem levado paz por onde quer que vá? Incline os ouvidos e ouça o que Deus está tentando lhe dizer. Talvez Ele lhe traga um passarinho para cantar, renovando sua esperança. Talvez Ele lhe traga um amigo com uma palavra de ânimo para alegrar seu dia. Talvez Ele lhe ofereça um hino para trazer paz ao seu coração. Talvez Ele lhe mostre um verso para que você volte para o caminho. Mas a maior certeza é a de que Deus é seu melhor Amigo e jamais a deixará sozinha.

*Adriana Seratto*


DEUS NUNCA DESISTE DE VOCÊ - 13 DE JANEIRO 2020

Provem, e vejam como o Senhor é bom. Como é feliz o homem que Nele se refugia! Salmo 34:8*

Nasci em um lar humilde e muito religioso no Sul do Brasil. Cumpria cada etapa que o dogma religioso me exigia. Estudei para ser uma religiosa de minha igreja, mas os planos não se concretizaram. Casei, tive dois filhos e então surgiu uma oportunidade de trabalho no Norte do Brasil. Assim migramos em busca de uma vida melhor. Certa vez tive uma séria desavença com o namorado de minha irmã. Os anos se passaram, e eles se casaram e conheceram a Igreja Adventista. Estudaram a Bíblia e, como seriam batizados, receberam a orientação de pedir perdão a quem tinham ofendido. Ele veio pedir perdão pelos nossos conflitos do passado e aproveitou a oportunidade para me oferecer um estudo da Bíblia. Aceitei apenas para lhe mostrar simpatia e que o havia perdoado. Na verdade, eu não tinha interesse sincero no estudo. Passaram-se oito anos, e sofri uma triste separação conjugal. Meu cunhado e minha irmã me ofereceram novamente um estudo da Palavra de Deus, a um de estarem mais próximos naquele momento difícil. Formamos um pequeno grupo de estudos, durante o qual meu filho de 16 anos aceitou a Jesus. Eu não havia tomado ainda a decisão, pois era uma empreendedora cujos negócios dependiam muito do sábado, o dia em que as vendas e os resultados financeiros eram mais significativos. Em um sábado pela manhã, senti em meu coração uma emoção muito forte de alegria e de tristeza ao mesmo tempo. Descobri que naquele momento os amigos da igreja oravam por mim. Pedi ao Senhor do sábado que me desse provas da verdade sobre a Sua providência. A partir daquele dia, o sábado passou a não ter o mesmo resultado financeiro que nos anos anteriores. No entanto, o faturamento de vendas do mês permaneceu intacto. O Senhor havia me mostrado claramente Sua resposta. Em 2009 selei a vida com Cristo em uma linda festa batismal. Após 15 anos de lutas espirituais e de tradições enraizadas, aceitei a Jesus em meu coração. Decidi segui-Lo e levar Sua Palavra aos meus familiares. Cinco anos depois, meu segundo ulho e a esposa aceitaram a Jesus. Pela minha experiência de fé, animo você, mulher, a nunca desistir de sua família, seus amados, seus amigos. Trabalhe em favor deles e persevere em oração, disposta a compartilhar o amor de Deus. E Ele fará maravilhas em Seu tempo e de maneiras inexplicáveis. Ore, confie, espere e veja.

*Terezinha Bresolin Richetti*


AMIGAS DE ORAÇÃO - 14 DE JANEIRO 2020

*Orem continuamente. 1 Tessalonicenses 5:17*

Mudamos para Maringá, Paraná, em 2010. Meu esposo iria trabalhar no escritório da Associação Norte-Paranaense. Passamos a morar em uma agradável casa, ao lado de uma família cujo esposo trabalhava no mesmo escritório. Fizemos uma boa amizade. Lílian era o nome da minha vizinha. Passado algum tempo desde que nos tornamos amigas, Lílian começou com uma atitude que, a princípio, achei um tanto estranha. No meio da manhã, ela tocava a campainha de minha casa. Quando eu a convidava para entrar, ela perguntava: “Podemos orar?” Eu dizia que sim. Em seguida íamos à sala, ela relatava seus pedidos, e eu fazia o mesmo. Então intercedíamos uma pela outra. Ao final, ela me dava um abraço e voltava para casa. À tarde, novamente a campainha tocava, e ela fazia a mesma coisa. Todos os dias isso se repetia. E eu ficava pensando: “Mas já oramos… Orar novamente?” Entretanto, aqueles momentos de oração ao longo do dia eram muito especiais. Em um determinado dia, o Espírito Santo trouxe à minha mente o texto bíblico de 1 Tessalonicenses 5:1?: “Orem continuamente.” Sempre achei que esse verso se referisse ao fato de passar o dia conectada com Deus, mas agora estava sendo ensinada que também precisamos parar nossas atividades e termos momentos especiais de oração. Além desse ensinamento tão valioso, aprendi o que significa ter uma “amiga de oração”. Que coisa incrível é ter alguém que ora com você e por você. No ano seguinte, passamos a orar juntas nas madrugadas. Às 5 horas da manhã, íamos uma à casa da outra e, durante 40 a 60 minutos, podíamos orar sem as preocupações comuns de mães e donas de casa. Quanta transformação alcançamos, quantas bênçãos, quantas lágrimas, quanto poder espiritual! No meio daquele ano, a família da Lílian foi transferida para servir em outro estado do Brasil, mas até hoje continuamos ligando às 5 horas da manhã para orarmos juntas. Ellen White fez uma linda reflexão sobre esse hábito: “Enquanto empenhados em nosso trabalho diário, devemos erguer a alma ao Céu em oração. Essas silenciosas petições ascendem como incenso perante o trono da graça; e o inimigo é confundido. O cristão cujo coração é assim firmado em Deus, não pode ser vencido. Nenhuma arte maligna pode destruir-lhe a paz. Todas as promessas da Palavra de Deus, todo o poder da graça divina, todos os recursos de Jeová estão empenhados em garantir-lhe o livramento. Foi assim que Enoque andou com Deus. E Deus era com ele, um socorro bem presente em todas as ocasiões de necessidade” (Mensagens aos Jovens, p. 249).

*Wélida Dancini*


UM VASO ESCOLHIDO - 15 DE JANEIRO 2020

*Se alguém se purificar dessas coisas, será vaso para honra, santificado, útil para o Senhor e preparado para toda boa obra. 2 Timóteo 2:21

* Você se lembra da história de Jeremias, quando ele é chamado para ir à casa do oleiro e ver como o profissional transforma um pedaço de barro sem forma em um vaso perfeito e útil? (Jr 18:1-6). Esse texto nos ensina várias lições, e a mais importante delas é que Deus não desiste de nós. Você conhece a história de Saulo, que saiu para perseguir os cristãos? Na estrada de Damasco, Jesus foi ao seu encontro. Ele caiu ao chão e ficou cego. Imagine sua surpresa e desespero ao ouvir aquela voz: “Eu sou Jesus, a quem você persegue” (At 9:5). Saulo ficou sem ação. Foi levado para Damasco, pediu socorro, e Jesus o ouviu, mandando socorro por intermédio de Ananias. Suas palavras foram: “Vai, porque este é para mim um vaso escolhido” (At 9:15, ACF). Se Saulo de Tarso, um homem cruel e perseguidor dos cristãos, pôde ser um vaso de honra, eu e você também podemos ser. Só precisamos permitir que o Espírito Santo atue em nosso coração, assim como Saulo permitiu. Desde o ventre de nossa mãe, o Senhor já nos conhecia. Sabia tudo a nosso respeito, mesmo antes de nascermos. Saímos como uma obra perfeita das mãos do Criador, mas o mundo coloca em nós muitas imperfeições ao longo da vida, resultados do pecado. Ainda assim, somos criaturas feitas com muito esmero por um Oleiro mestre. Somos vasos nas mãos de Jesus, e posso dizer que nunca é tarde para sermos moldadas ou renovadas. Quando surgem dificuldades e provações, o melhor é não questionar a Deus. Não podemos dizer ao Senhor o que Ele deve fazer. É possível que todos nós um dia precisemos ser quebradas por Deus e remodeladas para ser vasos de honra. Talvez você se pergunte: Deus não poderia simplesmente fazer um remendo, um retoque ou maquiar o defeito do vaso? Por que é preciso passar pela dor de ser quebrada e amassada novamente? É assim que Deus trabalha. Ele não faz remendo. Ele renova totalmente nossa vida. Dói ser quebrada? Sim! Mas lembre-se de que Deus sabe exatamente como fazer de você e de mim um vaso novo. Talvez não o vaso que queremos ser, mas o vaso que precisamos ser, conforme o propósito Dele. Que o Senhor nos faça vasos para Sua honra e glória!

*Maria José Franco*


FÉ E CORAGEM - 16 DE JANEIRO 2020

 *Honrarei aqueles que Me honram. 1 Samuel 2:30*

Eu era recém-formada em Administração e almejava um bom emprego. Comecei a trabalhar em uma empresa de recrutamento e seleção, em Belo Horizonte. O salário não era alto, mas podia ganhar experiência em Recursos Humanos. Certo dia, uma grande empresa do setor de telefonia ofereceu uma vaga para supervisão. Em vez de selecionar pessoas, foi-me concedida a oportunidade de me candidatar à vaga, por atender a todos os requisitos solicitados para o cargo. O salário seria duas vezes maior do que eu ganhava. Comecei então o processo admissional. Na sexta-feira fui informada de que o expediente seria de segunda a sexta-feira, e somente “duas horinhas em dois sábados por mês”. Apesar de já saberem de minha convicção religiosa, eles imaginavam que, devido à proposta atrativa, eu aceitaria. Ficaram abismados quando eu disse que não negociaria trabalhar aos sábados, mesmo que por poucas horas. De forma sutil, começaram a me ridicularizar no ambiente de trabalho. Eles me pediram para pensar durante o fim de semana e lhes dar a resposta definitiva depois. Na manhã de segunda-feira, recusei a proposta. Disse que Deus é quem dirigia a minha vida e que, no momento oportuno, Ele abriria uma porta muito especial. Liguei para minha mãe informando a decisão e aproveitei para deixar o número fixo da minha sala, já que a bateria do meu celular estava descarregada. Dentro de duas horas, recebi uma ligação em minha sala. Era o gerente de uma mineradora multinacional, uma das maiores operadoras de logística do país. Estava me oferecendo um emprego em minha área de formação, para trabalhar de segunda a sexta, com um salário três vezes maior do que eu tinha na época e a apenas 10 minutos de casa. Precisaria me apresentar no dia seguinte já com os exames admissionais em mãos. Percebi claramente a misteriosa mão de Deus guiando tudo, em um tempo recorde! Meu currículo tinha sido entregue lá fazia cinco meses. E a escolha foi feita de forma aleatória, dentre uma pilha de 40 cm de altura, só de currículos. Como não conseguiu falar comigo pelo celular (que estava descarregado), a pessoa ligou para o fixo residencial. Dessa forma, conseguiu o meu contato comercial, que minha mãe tinha acabado de anotar naquela mesma manhã! Nessa multinacional, Deus me abençoou muito! Tive ainda a grata satisfação de distribuir 250 estudos bíblicos para os funcionários, no fim daquele ano. Deus realmente honra os que O honram!

*Gisele Bessa Gandra*